<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15148318\x26blogName\x3dAl%C3%A9m+das+palavras\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alemdaspalavras.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alemdaspalavras.blogspot.com/\x26vt\x3d-5072122790680835150', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
domingo, junho 24


Tudo o que eu precisava nesse feriado de São João:
  • Comer
  • Dormir
  • Acordar tarde
  • Ler, ler e ler
  • Refletir, refletir e refletir
  • Ficar na net
  • Não ter o que fazer..

Não necessariamente neste ordem. Ahhh.. como eu precisava disso!

Valeu a pena!
domingo, junho 10


Um poema de Drumond.. dedico a uma colega que não faz mais parte desse mundo desde sexta-feira..












A um ausente


"Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste."

(DRUMMOND)
quinta-feira, junho 7



Porque complicamos a vida? Fazemos tantos questionamentos na infância e acreditamos que quando nos tornamos adultos as interrogações vão embora, pq já descobrimos tudo ou quase tudo o que necessitávamos descobrir.. ledo engano! Elas só tendem a crescer e quase nunca encontramos respostas para as nossas dúvidas. E assim vivemos, aprendemos ou não a conviver com as nossas aflições, ansiedades e medos.


Eu sei, sempre soube que a vida é curta para perdemos tempo com o que não vale a pena. Sempre soube que a vida é muito significante para deixarmos para trás grandes oportunidades.. mas ninguém me disse que seria tão difícil tomar certas decisões. Ninguém me disse que eu sofreria tanto e ninguém me disse que eu continuaria sendo a mesma pessoa tola, extremamente reflexiva...


O tempo não pára. Que minha decisão ocorra a tempo de não ser tarde...